Reunião com ABIH-AL e Abrasel discute limpeza de caixas de gordura e poluição das praias WhatsApp-Image-2020-12-04-at-13.38.30-1-377×290 - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

Reunião com ABIH-AL e Abrasel discute limpeza de caixas de gordura e poluição das praias

Sedet apresentou o “Guia Prático: Caixa de Gordura” a representantes do trade turístico de Maceió, durante encontro no Hotel Jatiúca


Trade Turístico recebe orientação sobre caixas de gordura

Representantes do trade turístico de Maceió conheceram nesta quinta-feira (02) a Cartilha “Guia Prático: Caixa de Gordura”, elabora pela Secretaria de Desenvolvimento Territorial e meio Ambiente (Sedet) e a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) para explicar a Lei Municipal 6961/2019. A iniciativa teve como objetivo orientar hotéis, bares e restaurantes sobre a necessidade de adequação e limpeza das caixas de gorduras para evitar problemas de saneamento na capital.

Participaram do encontro, representantes da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Alagoas (ABIH-AL) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Alagoas (Abrasel). “A poluição das praias começa aqui. Um simples caixa de gordura é capaz de estragar o destino turístico Maceió”, enfatizou o presidente da ABIH-AL, Ricardo Santos, na abertura do evento. “Temos que Fazer nossa parte como empresários. Para o nosso bem e em consequência da nossa cidade”.

A secretária de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente, Rosa Tenório, pediu o apoio dos representantes do trade enfatizando que muitos problemas de obstrução acontecem porque vários empreendimentos são edificados a partir de imóveis de pequeno porte, sem observar que é necessário redimensionar as caixas de gordura.


Rosa Tenório pede parceria ao setor turístico para evitar a poluição das praias

“Se as caixas de gordura forem adequadas para o tamanho da atividade e mantidas sempre limpas, evitam o entupimento da rede coletora de esgoto, garantindo que o efluente não transborde e não entre nas galerias de drenagem, evitando com isso a poluição de nossas praias”, destacou. Caso a fiscalização detecte o crime ambiental causado por inconformidade nas dimensões do equipamento, o empreendimento, com base na lei, poderá ser autuado e até mesmo fechado por descumprimento.

O engenheiro químico da Casal, Júlio Balbino, apresentou as orientações, normas técnicas e parâmetros utilizados pela Companhia de Saneamento no assunto e o assessor especial da Sedet, Leonardo Novaes, apresentou os pontos mais relevantes da Lei que define as obrigações, procedimentos e sanções previstas para seu descumprimento. A Sedet planeja encontros semelhantes com o setor construtivo e com os síndicos de condomínios, para promover a maior divulgação possível da cartilha como forma de prevenção dos problemas com as caixas de gordura.

Fonte: Ascom Sedet


No Banner to display


No Banner to display