Região chilena é alvo de vários ataques incendiários antes de missa do papa

Vários ataques incendiários ocorreram antes da chegada do papa Francisco à sulina região chilena da Araucanía, onde nesta quarta-feira o pontífice fará uma missa para milhares de pessoas, segundo fontes policiais. A informação é da Agência EFE.

Três helicópteros, dois deles totalmente destruídos; duas igrejas, uma escola e uma exploração agrícola foram os alvos dos ataques ocorridos na noite de terça-feira (16) e na madrugada de hoje (17), disseram as fontes, que informaram que os ataques ocorreram em Araucanía e nas vizinhas regiões de Bío-Bío e Los Ríos.

Um policial foi atingido por tiros nas costas quando repelia um ataque de encapuzados a uma fazenda na localidade de Ercilla, a 570 quilômetros ao Sul de Santiago.

O agente foi levado ao hospital de Temuco, a capital regional, onde os médicos constataram que o colete antibalas evitou sua morte ou que ficasse gravemente ferido.

No entanto, uma igreja e um colégio foram incendiados, supostamente pela ação de terceiros, em Collipulli, nas cercanias de Ercilla.

“Temos um policial ferido que estava fazendo guarda na esquina da estrada com o setor do cruzamento La Turbina e temos uma escola e uma igreja queimadas em Collipulli, tudo isto às vésperas da visita do papa à nossa região”, disse à rádio Coperativa María Gloria Naveillán, dirigente dos agricultores da zona.

Em Panguipulli, ao sul da Araucanía, uma capela católica foi incendiada na madrugada desta quarta-feira (17), ainda que a rápida ação dos bombeiros evitou sua destruição total, enquanto a polícia iniciou investigações para estabelecer as causas exatas do fato.

Em Curanilahue, na região de Bío-Bío, ao Norte da Araucanía, dois helicópteros foram completamente destruídos e um terceiro ficou danificado em um ataque contra um aeroporto que opera como acampamento para a prevenção e combate de incêndios florestais.

“Dois helicópteros foram incendiados e um terceiro teve danos na cabine. Estamos solicitando toda a informação correspondente”, disse Humberto Toro, governador da província de Arauco, onde está o aeroporto atacado, que pertence à empresa Florestal Arauco.

Segundo Toro, os guardas do local manifestaram que escutaram alguns disparos, por isso recuaram e nesse momento viram que os helicópteros começavam a queimar.

O governador assegurou que no local foram encontrados panfletos assinados pela Coordenadoria Arauco Malleco, uma das organizações radicais que atuam na zona, no marco do conflito mapuche.

Nas três regiões da zona ocorre esse conflito, que há décadas envolve comunidades indígenas que exigem terras ancestrais e empresas florestais e agrícolas, e que nos últimos anos derivou em surtos de violência nos quais morreram vários moradores, policiais e agricultores.

O papa Francisco, que visita o Chile, fará hoje uma missa em um antigo aeroporto próximo a Temuco, onde cerca de 200 mil pessoas aguardavam sua chegada nas primeiras horas de hoje.

O pontífice permanecerá em Araucanía cerca de sete horas antes de voltar a Santiago, enquanto na quinta-feira (18) se deslocará à cidade de Iquique, no Norte do Chile, no último dia de sua visita ao país.

As autoridades reforçaram as medidas de segurança em Araucanía, onde o diretor-geral dos Carabineiros, Bruno Villalobos, afirmou nas últimas horas que “com os grupos que querem causar alguma desordem ou alguma alteração da ordem pública, seremos suficientemente rígidos e contundentes, não vamos ter piedade das pessoas que querem interromper estes atos”.

Na madrugada da terça-feira, três igrejas católicas foram alvo de ataques incendiários no Sul do Chile.

AGÊNCIA BRASIL


No Banner to display