Programa Diálogo Brasil analisa primeiro mês de Trump na Casa Branca

Há apenas um mês na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já coleciona polêmicas e questionamentos típicos de políticos em fim de mandato. O programaDiálogo Brasil, da TV Brasil, convidou dois professores de relações internacionais para comentar os primeiros 30 dias do presidente norte-americano no poder. Para os analistas, as ações de Trump até agora colocam em risco o sistema de pesos e contrapesos que mantém o equilíbrio entre as instituições e a democracia dos EUA.

Donald Trump tem se mantido firme às convicções pregadas em sua campanha eleitoral. Comprou briga com o México, prometendo construir um muro na fronteira entre os dois países e retirou os Estados Unidos da parceria transpacífica, que poderia ser o maior acordo de livre comércio do mundo e que incluía 12 países. Trump também removeu os empecilhos que impediam a construção de dois oleodutos no país.

“Eu não sei se Trump tem aprendido as lições por características que são muito pessoais, como o voluntarismo, uma presença de espírito exacerbada, uma percepção de que é autossuficiente em tudo. Creio que a cada momento que algo não funciona, reforça-se a consciência no seu núcleo duro de que o problema é o sistema e não ele”, disse o professor Creomar de Souza, da Universidade Católica de Brasília.

Para o professor Juliano Cortinhas, da Universidade de Brasília (UnB), é de impressionar o quão rápido o presidente dos Estados Unidos está tendo seu governo questionado e pressionado pela imprensa e pela sociedade naquele país.

“A gente só tem um mês de governo. Esse tipo de discussão a gente estaria tendo, em condições normais, no terceiro ano talvez, um ano de muita pressão sobre o presidente, com a aproximação da eleição. E a gente está tendo esse debate depois de um mês apenas. A velocidade impressiona”. Cortinhas lembra que Trump adota um discurso populista desde a campanha, mas isso não se reflete em popularidade, apesar de sua eleição.

“O fator principal do populismo é uma tentativa de diálogo direto com as massas sem passar pelos caminhos institucionais tradicionais. Ele não teve maioria entre os eleitores, ele ganhou no colégio eleitoral. A popularidade dele está baixíssima. Saiu uma pesquisa do [instituto] Gallup dizendo que ele está com 40% de aprovação e 55% de reprovação, o que é um sinal muito forte da deterioração do governo Trump”, comentou Cortinhas.

O Diálogo Brasil vai ao ar hoje (21), às 20h30, na TV Brasil.


No Banner to display