Palestina: Burocracia ou descaso? Aprovados em concurso pedem socorro




O caos administrativo e político que se instalou na cidade de Palestina, Sertão de Alagoas, continua fazendo vítimas e para a maioria da população só chegará ao final em janeiro.

Os novos protagonistas da esdrúxula situação são os aprovados em um concurso público, realizado no ano passado e que aguardam a convocação desde o início desse ano.

Tais aprovados gastaram dinheiro – muitos conseguiram emprestado com juros – para disputarem os cargos de auxiliar de serviços gerais, carpinteiro, coveiro, operador de máquina, pintor, vigilante, agente comunitário de saúde, agente de endemias, assistente administrativo, fiscal do meio ambiente, fiscal de feira livre e técnico em saúde bucal, motorista, técnico agrícola, técnico em enfermagem, técnico em eletricidade, técnico em farmácia, técnico em tecnologia da informação, auxiliar de sala, arquiteto, contador e controlador, além de enfermeiro, engenheiro civil, educador físico, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, médico cardiologista, médico ortopedista, médico pediatra, nutricionista, odontólogo, procurador, terapeuta ocupacional, veterinário, professor de educação infantil e psicopedagogo.

A organização do certame foi do Instituto ADM&TEC, com sede em Recife (PE), o mesmo que tem realizado outros concursos em cidades de Alagoas.

Mas cadê a convocação? A prefeita do município, Eliane Silva Lisboa, a Lane Cabudo, que está em seu segundo e último mandato não tem demonstrado simpatia em chamar os aprovados.

No ápice do desespero, um grupo de aprovados se utiliza das redes sociais para denunciar o descaso e até instigar as autoridades judiciais para que cobrem da prefeita a solução para o impasse.

“Criamos o movimento #homologapalestina e através das redes sociais temos conseguido o apoio da população e chamado a atenção para o descaso da prefeita com a gente. Agora, não é somente nós que cobramos. O povo também exige que nossos direitos sejam assegurados”, disse um dos organizares do movimento.

Let’s block ads! (Why?)

Source: Correio Notícia


No Banner to display


No Banner to display