banner ads
No Paraná, CRB abre o placar, mas acaba levando a virada do Operário: 2 a 1 201907202000_70e51f01e1 - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

No Paraná, CRB abre o placar, mas acaba levando a virada do Operário: 2 a 1




CRB até que tentou, chegou a abrir o placar no primeiro tempo, mas amargou a virada na etapa final e saiu de campo com a derrota por 2 a 1, para o Operário-PR, na noite deste sábado (20), em partida válida pela 10ª rodada da Série B do Brasileiro, no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, interior do Paraná.

O gol do CRB foi assinalado por Willians Santana, aos 28 minutos do primeiro tempo. Já o Operário assinalou com Felipe Augusto e com Lucas Batatinha, aos 15 minutos e aos 20 minutos da etapa final, respectivamente.

Veja como foi a partida em Tempo Real!

Mesmo com essa derrota, o Galo permanece na 10ª colocação na tabela, com 13 pontos, enquanto o Fantasma subiu cinco posições e ocupa agora a 11ª colocação, com a mesma pontuação do time alagoano.

Técnico Marcelo Chamusca, do CRB, fez substituições em sua equipe, mas não conseguiu impedir a pressão e a vitória do Operário

FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

Na próxima rodada (a 11ª), já nesta terça-feira (23), o CRB recebe o Criciúma, no Estádio Rei Pelé, às 21h30. E o Operário, no mesmo dia, mas às 19h15, encara o São Bento, no Estádio Walter Ribeiro, em São Paulo.

O 1º tempo

Logo no início do jogo, o perigo foi proporcionado pelo Operário, que mandou uma bola na trave. Após cobrança de escanteio, aos 3 minutos, Índio desviou de cabeça, na primeira trave, e carimbou a trave de Edson Mardden. Quase era o primeiro gol dos donos da casa. Aos 6 minutos, de novo o Operário chegou com perigo. Mailton chutou a bola de fora da área e ela foi raspando a trave direita do goleiro regatiano.

O jogo era de um time só, no caso, o Operário. O CRB não sabia sair para o jogo e, passados 10 minutos, não deu um chute sequer em direção ao gol. Enquanto o Operário, pressionava o Galo o tempo todo.

No primeiro tempo, o CRB não apresentou um bom futebol e o Operário exercia pressão, apesar do gol assinalado pelo Regatas

FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

Aos 12 minutos, mais uma vez o time paranaense tentou com Felipe Augusto. Ele cruzou na área do CRB, mas mandou direto para fora. O Galo chegou pela primeira vez aos 15 minutos. Lázaro saiu jogando errado e Willie ficou com a bola, avançou e chutou, mas o goleiro Simão espalmou para o lado e o CRB desperdiçou uma boa chance.

Aos 20 minutos, uma lambança do CRB. Alan Vieira cruzou rasteiro, o goleiro regatiano deu rebote no cruzamento, Felipe Augusto dividiu com Mardenn e por pouco não mandou para o gol. O CRB respondeu aos 23 minutos, quando Alisson Farias deu um passe para Willians Santana, dentro da área do Operário, mas o goleiro Simão saiu do gol e ficou com a bola.

O ataque do CRB seguia sem funcionar, mas eis que aos 28 minutos, o time abriu o placar. Willians Santana invadiu a área do Operário e soltou uma bomba, de canhota. A redonda foi morrer no fundo do gol paranaense: 1 a 0. Um golaço de Santana! Detalhe: esse foi o primeiro gol de Willians Santana após o seu retorno para o CRB. Ele estreou na rodada passada, no jogo contra o Guarani, no Rei Pelé.

Willie corre com a bola, seguido de perto pelo jogador do Operário, que não deu moleza ao Galo esta noite

FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

O Operário respondeu um minuto depois. Mailton cortou para dentro e soltou a bomba, também de canhota, mas Edson Mardenn espalmou para escanteio, livrando o perigo. De novo o time paranaense chegou. Na cobrança do escanteio, ensaiada, Allan Vieira fez lindo cruzamento na cabeça de Índio e o volante, sozinho, mandou por cima do gol do CRB.

Aos 37 minutos, na cobrança ensaiada de falta, feita por Maílton, ele rolou para o meio da área, Marcelo ajeitou e Felipe Augusto mandou por cima do gol de Mardden. O Operário assustou aos 42 minutos. Maílton levantou na área do CRB, Lucas Gaúcho cabeceou bonito, para o chão, e a bola passou raspando o poste esquerdo de Edson Mardden. Por muito pouco, não fez o gol de empate.

Aos 43 minutos, novamente Lucas Gaúcho quase empatou. Ele mandou um balaço, do meio da rua, pelo alto, e o goleiro regatiano desviou com a ponta do dedo, mandando para escanteio.

Aos 46 minutos, na cobrança de escanteio de Maílton, Felipe Augusto apareceu sozinho nas costas da zaga regatiana, cabeceou e a bola foi para fora. E, sem mais tempo para nada, o árbitro assinalou o final da primeira etapa, que terminou com o CRB em vantagem: 1 a 0.

A 2ª etapa

No segundo tempo, o CRB começou dando as cartas. Logo no primeiro minuto de bola rolando, o Galo mandou uma bola na trave. Willians Santana lançou Willie, que invadiu a área e soltou uma bomba, vendo a bola “beijar” a trave. Quase o Regatas ampliava o marcador.

Goleiro do CRB, Edson Mardden fez boas defesas, mas não conseguiu impedir a vitória , de virada, do Operário-PR

FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

Aos 7 minutos, veio a resposta do Operário e o goleiro Edson Mardden fazendo um verdadeiro milagre. Allan Vieira cruzou na área do CRB, Lucas Gaúcho cabeceou bonito e Mardenn fez a defesa em dois tempos.

O jogo era mais equilibrado no segundo tempo, era lá e cá, diferentemente do que foi na etapa inicial. E aos 9 minutos, de novo o time da casa tentou. Na cobrança de escanteio de Cleyton, mais uma vez Edson Mardden afastou de soco.

O Operário insistia em busca do gol de empate. E ele veio aos 15 minutos, após uma bobeira da defesa do CRB. Marcelo cruzou rasteiro, a bola passou por Edson Mardenn, e Felipe Augusto, sozinho, só fez empurrar para o fundo da rede, deixando tudo igual no Germano Krüger: 1 a  1.

O time da casa cresceu depois do gol de empate. E não demorou a fazer o segundo gol, o gol da virada. Aos 20 minutos, Felipe Augusto chutou cruzado, a bola bateu na trave e, na sobra, Lucas Batatinha empurrou para o fundo da rede. Vira, virou em Ponta Grossa: 2 a 1.

Volante Ferrugem teve uma atuação apagada, enquanto o atacante Cleyton (ex-CSA), buscou o jogo a todo o momento

FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

O CRB tentou com Felipe Ferreira, aos 25 minutos, que cortou para a esquerda e chutou, mas Simão encaixou em cima da linha, livrando o que poderia ter sido o gol do Galo. Aos 29 minutos, mais uma vez o Regatas chegou com perigo. Daniel Borges chutou a bola da entrada da área, com veneno e de perna esquerda, e Simão se esticou todo para colocar a bola para escanteio. Quase era o empate do time alagoano.

O Operário tentou aos 33 minutos, com Felipe Augusto, que cruzou rasteiro e Wellington Carvalho, ao estilo zagueiro raiz, deu um chutão na redonda para afastar o perigo. Aos 35 minutos, de novo o Operário, que insistia em fazer o seu terceiro gol. Lucas Batatinha recebeu na frente da área do CRB, fez a proteção, girou e chutou, mas viu a bola passar por cima do gol de Edson Mardden.

O CRB tentava se organizar, buscando o gol de empate. Aos 43 minutos, Felipe Ferreira cruzou na área e o goleiro Simão foi lá no alto para ficar com a bola. O Operário também não desistia, seguia insistindo em busca de mais um gol. Aos 45 minutos, Revson arriscou o chute da entrada da área e a bola passou muito perto da trave de Mardden. Aos 45 minutos, o CRB tentava o empate. Alisson Farias tentou o drible, mas a marcação chegou primeiro e mandou a bola para lateral.

Willie deixou o jogo no segundo tempo, para a entrada de Léo Ceará, e ficou na bronca com a substituição

FOTO: JOSÉ TRAMONTIN/OFEC

Aos 50 minutos, após cinco de acréscimos, o árbitro Jonathan Antero Silva encerrou a partida: de virada, Operário 2 a 1 CRB.

Operário-PR – Simão; Mailton, Lázaro, Rodrigo e Allan Vieira; Jardel, Índio, Marcelo (Lucas Batatinha), Felipe Augusto (Revson) e Cleyton; Lucas Gaúcho (Jean Carlo). Técnico: Gerson Gusmão.

CRB – Edson Mardden; Daniel Borges, Wellington Carvalho, Edson e Igor (Bryan); Claudinei, Ferrugem e Felipe Ferreira; Willie (Léo Ceará), Willians Santana (Hugo Sanches) e Alisson Farias. Técnico: Marcelo Chamusca.

Árbitro – Jonathan Antero Silva (CBF-RO).

Auxiliares – Márcia Bezerra Lopes Caetano (CBF-RO) e Adenilson de Souza Barros (CBF-RO).

Público pagante –  4.332 pessoas.

Público total – 4.634 pessoas

Renda – R$ 49.320,00.

 

Fonte: GAZETA WEB


No Banner to display


No Banner to display