banner ads

Homem mata esposa com 17 facadas na frente da família no aniversário dela




A jovem foi morta com 17 facadas – Foto: Arquivo Pessoal

A jovem foi morta com 17 facadas – Foto: Arquivo Pessoal

Dianes Maria Silva Marques, de 25 anos, foi assassinada pelo marido durante a comemoração de seu aniversário na noite do último sábado (23) em Gurupi, no Tocantins. A família esperava que a festa continuasse até o dia seguinte, data de nascimento da jovem, mas o evento foi interrompido pela tragédia.

Os parentes da vítima relatam que tudo parecia normal no dia do crime: o suspeito brincou e dançou com a mulher no começo da comemoração. Por volta das 23h, Maycon Jhonatan pediu que a esposa desbloqueasse a tela do celular para que ele pudesse ler as mensagens dela durante a festa.

Ela se recusou, dizendo que tinha direito à privacidade. Para a família de Dianes, a recusa foi o que impulsionou o homem a cometer o crime:

“Ele foi muito frio. Discutiu porque ela não quis colocar a senha e disse que tinha a privacidade dela. Todo mundo pediu para eles pararem com aquela briga e, então, ela abraçou o marido. No que ela o abraçou, ele aproveitou [para atacá-la]”, diz Maria Silva de Sousa Moura, tia da vítima, em entrevista ao UOL.
Ele esfaqueou a esposa 17 vezes. Todos os convidados, inclusive a filha pequena do casal, assistiram à cena perplexos. Depois de deixar a esposa caída no chão, ele ainda tentou dar um golpe de faca em um dos irmãos de Dianes, e fugiu em seguida. Maycon Jhonatan Bispo de Assis, de 22 anos, continua foragido.

O relacionamento dos dois durou sete anos. Maycon chegou a ser preso por mais de um ano por tráfico de bebidas, e diante da situação, Dianes decidiu terminar a relação. Ele foi solto no ano passado, e desde então pedia uma segunda chance. Após muita insistência, a jovem concordou em reatar o relacionamento com o pai de sua filha.

A família conta que ela planejava voltar a morar com ele em janeiro. Para eles, ele parecia um bom homem e nunca tinha agredido a esposa. O casamento era aprovado por todos, exceto o pai de Dianes:

“Quando nós fazíamos churrasco, o Maycon não ia porque meu pai falava que os santos deles não batiam. Ele falava que algo no marido dela estava errado, mas ninguém nunca suspeitou de nada”, conta o irmão da vítima.

Let’s block ads! (Why?)

Source: Correio Notícia


No Banner to display


No Banner to display