banner ads
Escolhas 376 - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

Escolhas




No dia de hoje trago um texto para que possamos refletir sobre as escolhas em nossas vidas.

Reflitam!!

Vamos começar pelo óbvio: a vida é feita de escolhas. A gente escolhe a roupa que vai vestir, o estilo de cabelo que vai usar. A gente escolhe a namorada ou o namorado. E a gente escolhe a profissão. Nem sempre foi assim: durante séculos, meninos que nasciam no campo muito cedo tinham de ajudar o pai na lavoura. Não havia opção, ou, ao menos, não havia opção sem conflito. Mas, para uma boa parte da população brasileira, a escolha profissional é hoje uma coisa possível. Possível não quer dizer fácil: às vezes o processo de optar por esta ou por aquela carreira é problemático e até angustiante. Aqui vão algumas considerações que têm o propósito de ajudar neste processo.

Na escolha intervêm basicamente dois componentes: aquilo que a pessoa gostaria de fazer, e às vezes gostaria muito de fazer (o que é chamado de vocação), e aquilo que é conveniente fazer. Se você anunciar em casa que quer ser poeta seus pais ficarão preocupados; eles sabem que livros de poesia não vendem muito e que será problemático ganhar a vida desta maneira. Dirão: escolha outra profissão, e faça poesia nas horas vagas.

Funciona? Às vezes funciona. Carlos Drummond de Andrade, grande poeta, era funcionário público. Isto não impediu que produzisse uma grande obra. A melhor situação é aquela em que a pessoa tem uma vocação que atende a uma necessidade social evidente: alguém que tem paixão por ensinar, por exemplo. Quando isto não acontece, temos duas opções: fazer aquilo de que gostamos, ou aprender a gostar daquilo que fazemos. De qualquer maneira, gostar é aí (como em qualquer outra situação) um verbo essencial.

Isto é uma consideração geral, não muito prática, mas que serve de ponto de partida para orientar a escolha. Agora vamos a uma outra consideração. Quando eu fiz vestibular, isto na pré-história, as opções (ao menos na minha cidade, Porto Alegre) eram poucas: medicina, engenharia, direito, arquitetura, filosofia e mais algumas. Hoje é incrível a variedade de cursos que as universidades oferecem. E um fenômeno novo também está ocorrendo: as pessoas trocam muito de curso (às vezes como quem troca de roupa). “Não gostei” é a explicação mais freqüentemente dada para isso; como gostar é importante, parece ser razão suficiente.

Mas pode nascer de um equívoco. Uma coisa é o curso, outra coisa é a profissão à qual este curso conduzirá. Às vezes o curso é decepcionante, sobretudo nos primeiros semestres, mas a profissão é uma excitante aventura. Portanto, um bom conselho é não confundir as duas coisas. Escolha profissional deve ser baseada em um conhecimento da profissão, do que ela significa no dia-a-dia da pessoa.

Finalmente, uma terceira ponderação. Se a opção é difícil, se ela lhe causa angústia, não hesite em pedir ajuda. Fale com pessoas mais velhas, mais experientes. E ah, sim, recorra ao auxílio psicológico se você sentir que o problema é muito grande. Muitas vezes a opção torna-se problemática porque nós estamos vivendo um momento problemático. Descobrir quem somos, e o que queremos, é importante, e um tratamento pode ser fundamental para isto. Finalmente, lembre-se: profissão é essencial na vida, mas a vida é maior que a profissão. E você sempre pode contar com a energia da vida para atingir seus objetivos.

Por Moacyr Scliar

Amigos!!Escolhas fazem parte de nosso dia a dia. Escolher é inevitável, por isso pense bem no que você deseja para sua vida, o que vai te fazer feliz. Talvez, muitas vezes, vamos fazer a escolha errada e sofrer por isso, mas nada nos impede de parar, repensar e refazer nossas escolhas. Não tenha medo de escolher e nem de pedir ajuda se necessário. Faça suas escolhas!!


No Banner to display


No Banner to display