banner ads
Escolas da rede estadual desenvolvem projetos literários de incentivo à leitura 8a0a594f95d657b2fcb2449d5d280c8d_L - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

Escolas da rede estadual desenvolvem projetos literários de incentivo à leitura








Às vésperas do Dia Mundial do Livro do Dia Mundial do Livro, comemorado em 23 de abril, os projetos de incentivo à leitura se fortalecem na rede estadual de ensino. Em Maceió, duas unidades apostam em ideias para aguçar o interesse pela leitura e reciclar objetos. Trata-se das Escolas Estaduais Cincinato Pinto, no Bom Parto e Maria Rita Lyra de Almeida, no Trapiche, que, respectivamente, transformaram um antigo carrinho de laboratório e uma geladeira fora de uso para guardar parte de seu acervo literário, bibliográfico e como ferramenta para fomentar o gosto pelos livros entre alunos do 1o ao 5o ano do ensino fundamental.

Há muitos anos, uma geladeira industrial quebrada ficava encostada em uma das paredes da Escola Maria Rita Lyra. Por ser muito pesada, a retirada do eletrodoméstico requeria transporte especial. Após assistir uma reportagem sobre “geladeiras literárias”, Chiara Campos, diretora da unidade, decorou o refrigerador para guardar livros duplicados e algumas doações que recebem. A Geladeira Literária foi implantada há três meses e atende aos 235 alunos da unidade, a comunidade do entorno e estudantes da Escola Estadual Tarcísio de Jesus, que fica em frente à instituição.

Acervo da Geladeira Literária atende escola e comunidade (Foto: Valdir Rocha)

“A ideia foi bem recebida, tanto pelos funcionários, quanto pelos pais – eles pegam emprestados, devolvem, trazem livros que têm em casa, mas que não estão sendo utilizados. Antes de colocarmos os livros na Geladeira, fazemos uma análise sobre os temas abordados e qual a faixa etária”, comentou a diretora.

Chiara disse ainda que os próprios funcionários da escola também emprestam os livros da Geladeira Literária e ajudam com doações.

Isabelly, à esquerda, gosta de ler iz que já levou alguns livros da Geladeira para casa (Foto: Valdir Rocha)

A pequena Isabelly Eloise da Silva, aluna do 4º ano, já leu oito livros desde que a Geladeira Literária foi implantada. Surpreendida com a ideia, a estudante disse ter achado engraçado usarem uma geladeira para guardar livros. “Gosto de ler gibis, histórias em quadrinhos, contos de fada. Às vezes, leio na minha casa, levo os livros dali [da geladeira] para casa, ou então leio aqui na escola mesmo”, contou Isabelly.

Um beija flor retorna às origens

Em 2008, a então professora da Escola Estadual Cincinato Pinto, Ivanete Marques, criou com Mércia Sarmento o “Projeto Beija Flor”. Dez anos depois, com o apoio e parceria de sua filha, Anissa Marques, retorna à escola, agora aposentada, para implementar o projeto que tanto sonhou. Carinhosamente apelidadas de “amigas da escola”, as duas planejaram e montaram um ambiente de leitura encantador e acolhedor.

Ivanete Marques hoje é amiga da Escola Cincinato Pinto (Foto: Valdir Rocha)

“Quando imaginei, junto com a Mércia, o projeto ainda era professora do 5º ano e ficava incomodada com a questão da repetência e da dificuldade de leitura que os alunos enfrentavam. Nessa época, li um livro que me marcou porque falava sobre solidariedade e foi o que nos impulsionou para elaborar o projeto. O objetivo principal é despertar o interesse dos alunos para a leitura. A decoração que fizemos foi realizada com materiais reciclados, que antes iriam para o lixo. O projeto já existe há bastante tempo e o que fazemos hoje é um resgate dele”, declarou Ivanete.

O carrinho, por outro lado, só surgiu esse ano. A ideia de transformá-lo em “Carrinho da Leitura”, afirmou Ivanete, foi de sua filha Anissa. “Ela pintou, confeccionou a placa e todo dia passamos com ele durante o intervalo. Tem professoras que o levam para a sala de aula”, completou a voluntária.

Carrinho da leitura faz sucesso com alunos da Cincinato Pinto (Foto: Valdir Rocha)

A coordenadora da escola, Débora Luna, comemora a presença de Ivanete e Anissa no ambiente escolar. Ela diz que os resultados obtidos até o momento são satisfatórios, pois o projeto cumpre a função de despertar o interesse dos alunos para o conhecimento e a descoberta. Ela chama atenção para o aumento da concentração e calmaria nos corredores da escola.

“Ficamos muito contentes em saber que elas estão aqui para realizar esse trabalho que está dando tão certo. O próximo passo é reimplantar a parada da leitura, momento no qual é tocado um som diferente do que eles estão acostumados para sinalizar o início ou término das aulas e, no momento, em que toca esse novo som, toda a escola vai parar o que está fazendo – alunos, professoras, direção, merendeiras – para ler algum livro”, revelou Débora Luna.

O pequeno Davi não quis largar o livro quando a professora chamou a turma para voltar para a sala de aula (Foto: Valdir Rocha)

Campanha – Buscando incentivar a leitura e compartilhar conhecimentos, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) lançou a campanha “Doe livros”, uma oportunidade para quem tem um livro parado na estante de compartilhar com alunos das redes de ensino básico em Alagoas. Os interessados devem procurar, em qualquer época do ano, a escola pública mais próxima de sua residência para realizar a doação.

O único requisito estabelecido pela Seduc é de que os livros estejam em boas condições de uso. Podem ser doadas obras literárias infantil, juvenil e adulto, bibliografias, histórias em quadrinhos, periódicos, literatura de cordel e dicionários das línguas portuguesa, inglesa e espanhola. São alvos da “Doe livros”, escolas da rede estadual e das redes municipais. A iniciativa abrange todo o território alagoano.

Fonte: AGÊNCIA ALAGOAS


No Banner to display


No Banner to display