Cine Pedra, um velho persistente

Portarias do Cine Pedra no auge de seu funcionamento – Foto: Blog Amigos de Delmiro Gouveia

Portarias do Cine Pedra no auge de seu funcionamento – Foto: Blog Amigos de Delmiro Gouveia

Localizado na cidade de Delmiro Gouveia, Sertão de Alagoas, o Cine Pedra, segundo cinema de rua mais antigo do Brasil, foi fundado pelo industrial Delmiro Augusto da Cruz Gouveia em 1915. Na época, a cidade que hoje lhe homenageia com seu nome era apenas uma vila, a Vila Operária da Fábrica da Pedra, indústria têxtil que o cereanse, de Ipu, também instalou na localidade juntamente com a primeira Usina Hidrelétrica do Nordeste, a Angiquinho, que gerava energia para toda a comunidade.

Com um projetor mudo trazido da Europa, o Cine Pedra garantia gratuitamente aos operários da fábrica e aos demais moradores da região entretenimento todos os domingos à noite, dia de folga da maioria. Eram exibidos filmes clássicos, escolhidos pelos secretários da Fábrica. Um fato curioso é que crianças somente podiam entrar no cinema se tivessem um bom desempenho na escola durante a semana.

Delmiro Augusto foi assassinado em 1917, mas seus sócios e herdeiros mantiveram o funcionamento de todo o empreendimento até 1926, quando o venderam para o grupo empresarial pernambucano Irmãos Menezes e Companhia, que também manteve funcionando a Fábrica da Pedra, a Usina Angiquinho e o Cine Pedra.

O novo grupo acionista modificou o funcionamento do Cine Pedra, passando a exibir filmes durante a semana e a cobrar pela entrada do público. E fez investimento, importando dos Estados Unidos em 1937 um projetor do cinema falado, que atraiu grande público para a sala escura do cinema.

Essa é a primeira parte da reportagem. Leia as outras partes:

  • Cine Real, o concorrente que fechou o Cine Pedra
  • Reabertura do Cine Pedra, após 20 anos fechado
  • Secult diz que não recebeu pedido de apoio para o Cine Pedra

Let’s block ads! (Why?)

Source: Correio Notícia


No Banner to display