Cinco dos oito mortos no atentado em NY são argentinos caminhaoatentadonovayorkreuters - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

Cinco dos oito mortos no atentado em NY são argentinos

Cinco dos oito mortos no atentado terrorista ocorrido nessa terça-feira (31) em uma ciclovia de Nova York são argentinos, informou o Ministério de Relações Exteriores da Argentina. Mais um argentino foi ferido e está internado, mas fora de perigo.

As vítimas eram parte de um grupo de dez ex-alunos da Escola Politécnica de Rosário – uma cidade a 300 quilômetros da capital, Buenos Aires. Eles tinham viajado aos Estados Unidos para comemorar os 30 anos de formatura e estavam passeando de bicicleta pelo bairro de Manhattan, quando foram atropelados.

Os argentinos mortos foram identificados como Hernán Diego Mendoza, Diego Enrique Angelini, Alejandro Damián Pagnucco, Ariel Erlij y Hernán Ferruchi. Martín Ludovico continua no Presbiterian Hospital de Manhattan, mas está fora de perigo.

O terrorista deixou um bilhete em que informa que agiu “em nome do Isis”, como o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) é conhecido.

O jornal New York Post informou ainda que há inscrições em árabe no caminhão usado pelo autor do ataque que indicam uma ligação com o EI. No entanto, a polícia sustenta que o homem agiu sozinho e que está investigando qualquer ligação externa do suspeito.

O homem, que passou por uma cirurgia após ser atingido por um tiro da polícia no estômago, deve dar seu depoimento em breve.

Apesar das autoridades não terem confirmado a identidade dele, a mídia norte-americana diz que trata-se do uzbeque Sayfullo Habibullaevic Saipov, 29 anos, que morava legalmente em Tampa, na Flórida, desde 2010. Até mesmo uma foto do suspeito já está sendo veiculada na imprensa.

A CBS News entrevistou vizinhos de Saipov e confirmou com um deles que o homem era “calmo” e atuava como motorista do aplicativo de transporte Uber há anos.

Dinâmica do ataque

Por volta das 15h (hora local), um caminhão branco – que havia sido alugado e que tinha um adesivo de uma empresa local – invadiu a ciclovia que fica na West Street e atropelou uma série de pessoas.

O veículo só parou quando colidiu com um ônibus escolar, ferindo duas crianças e dois adultos. Ao sair do carro, o homem portava duas armas falsas – sendo uma delas de paintball – e gritou em árabe “Alá é Grande”.

Ele foi atingido por tiros de agentes e levado para o hospital.

Agora, a polícia – que já classificou a ação como “um ato de terror” – investiga as ligações do suspeito.

O governo do Uzbequistão já ofereceu ajuda aos EUA para a investigação.

Fonte: TERRA


No Banner to display