Alagoas atinge a marca de 60 lixões encerrados em três anos LIXO - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

Alagoas atinge a marca de 60 lixões encerrados em três anos

Oito lixões localizados nos municípios do Alto Sertão alagoano foram encerrados nesta terça-feira (3), graças a um acordo firmado entre as prefeituras, representadas pela Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), com o apoio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

 

Ascom/Semarh

 

Os lixões encerrados estavam localizados nos municípios de Canapi, Mata Grande, Inhapi, Água Branca, Pariconha, Delmiro, Olho d’ Água do Casado e Piranhas.

 

À frente das negociações com os municípios desde 2015, quando assumiu a gestão da Semarh, o secretário Alexandre Ayres ressalta que o planejamento do Governo de Alagoas foi preponderante para que mais de 60 lixões fossem encerrados em mais de três anos.

 

“A Semarh entregou o Plano Estadual de Resíduos Sólidos, bem como o Plano Intermuncipal de Resíduos Sólidos. Esses documentos deram um norte aos municípios para que os lixões fossem encerrados, a coleta seletiva fosse implantada e as prefeituras compreenderam a importância dessa política. São mais de 60 lixões fechados em três anos de governo. Antes, apenas Maceió destinava corretamente os resíduos. A realidade agora é outra”, avalia o secretário Alexandre Ayres, que esteve presente no fechamento dos lixões na região do Alto Sertão.

 

Ascom/Semarh

 

A partir de agora, as prefeituras que encerraram as atividades dos vazadouros públicos passam a encaminhar os resíduos gerados para o aterro sanitário Cigres, localizado no município de Olho d´Água das Flores.

 

Aterro e CTR

 

Com os encerramentos dos lixões, os municípios passaram a enviar a produção de resíduos para os aterros sanitários e centrais de tratamentos, as CTRs. O aterro Cigres recebe os resíduos de Olho d´Água das Flores, Batalha, Senador Rui Palmeira, Carneiros, Monteirópolis, São José da Tapera, Olivença, Santana do Ipanema, Belo Monte, Pão de Açúcar, Maravilha, Palestina, Cacimbinhas, Dois Riachos, Major Izidoro, Poço das Trincheiras, Ouro Branco, Jacaré dos Homens e Jaramataia.

 

A Central de Tratamento de Resíduos de Craíbas está recebendo a produção de Arapiraca, Limoeiro do Anadia, Coité do Nóia, Igaci, Taquarana, Craibas, São Sebastião, Lagoa da Canoa, Junqueiro, Feira Grande, Girau do Ponciano, Olho d’Água Grande, Paulo Jacinto, Traipu, Campo Alegre, Teotonio Vilela, Tanque d’Arca e Quebrangulo.

 

Já a CTR Metropolitana, localizada em Pilar, recebe os resíduos do Pilar, Santa Luzia do Norte, Atalaia, Marechal Deodoro, Satuba, Messias, Mar Vermelho, Rio Largo, Coqueiro Seco, Barra de São Miguel, Boca da Mata, Pindoba, Chá Preta e Roteiro.

 

Acordo ministerial

 

Em 5 de dezembro de 2017, 42 prefeitos alagoanos assinaram um acordo de não persecução penal com o Ministério Público Estadual para finalizar os lixões em atividade. Quem assinou o documento tem até esta quinta-feira (5) para acabar com os vazadouros públicos.

 

Em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com as Promotorias de Justiças locais, os gestores municipais  se comprometeram em recuperar a área ambientalmente degradada num prazo de até cinco anos.

 

O próximo lixão a ser encerrado será o de São Miguel Dos Campos. A solenidade que oficializa o fim das atividades no município acontece na próxima quinta-feira (5), em horário ainda a ser definido.

AGÊNCIA ALAGOAS


No Banner to display