Alagoanos medalhistas da Olimpíada Brasileira de Física são premiados 23345ba27b5e409b353a53adb04cc992_L - 0 Comentários*Enter your name*The entered E-mail is invalid.*2 caracteres no mínimo.Do not change these fields following Ampliar Imagem

Alagoanos medalhistas da Olimpíada Brasileira de Física são premiados

728x90

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e Universidade Federal de Alagoas (Ufal) premiaram nesta quarta-feira (16), 43 estudantes de escolas públicas de Alagoas, divididos entre as redes estadual e federal. O evento, que contou com a participação do vice-governador Luciano Barbosa e da titular da pasta estadual da Educação, Laura Souza, promoveu a entrega de medalhas de ouro, prata e bronze aos medalhistas da Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP) 2017.

Alagoas teve 4 medalhistas de ouro na etapa nacional, ficando atrás apenas do estado de São Paulo, que conquistou 5 medalhas de ouro. A rede de ensino alagoana contou ainda com 16 pratas e seis bronzes.

 Medalhas da etapa nacional da OBFEP 2017 (Foto: Valdir Rocha)

Desenvolvimento – A secretária Laura Souza afirma que, em todo país, principalmente em Alagoas, há uma carência muito grande de formação de cientistas, e que ações como a OBFEP estimulam e popularizam as disciplinas voltadas às ciências exatas.

“Em um momento como este, que os estudantes se preparam e que existe um trabalho direcionado, construímos uma forma de popularizar as ciências, divulgar, e de estimular carreiras. Precisamos formar novos cientistas, principalmente nas áreas exatas, para garantir o desenvolvimento do país”, afirma.

 Alex Rodrigues, de Canapi, diz que medalha de ouro é fruto de muita dedicação (Foto: Valdir Rocha)

Para o vice-governador Luciano Barbosa, as medalhas mostram que é possível fazer uma educação pública de qualidade em Alagoas, descentralizando o conhecimento da capital. “Não é só Maceió, não é uma escola localizada em um determinado bairro. Aqui tivemos alunos premiados de todo o nosso estado. Isto demonstra que nossa educação tem qualidade e que é homogênea. Essa premiação nos enche de orgulho”, explica o vice-governador.

Preparo – De acordo com o professor responsável pela OBFEP na rede estadual e diretor do Centro de Ciências e Tecnologia (Cecite) do Cepa, Ronaldo Cristiano, a rede estadual tem desenvolvido, desde 2016, um projeto que procura melhorar o currículo escolar dos alunos por meio da olimpíada.

“Isto é resultado de uma parceria com a Ufal, com o coordenador estadual da OBFEP, Kleber Serra. Fizemos formação com os professores, oficina com os alunos, para que assim conseguíssemos alcançar o segundo lugar no Brasil. Sabemos que ainda temos muito que caminhar, e replicar o projeto para melhorar efetivamente o ensino de Física no Estado”, conta Ronaldo.

O professor salienta ainda que um trabalho descentralizado, em todas as 13 Gerências Regional de Educação (Geres) foi realizado, para assistir a todos os alunos, além de uma assistência em uma sala online, para tirar as dúvidas dos discentes.

O coordenador estadual, e professor doutor pela Ufal, Kleber Cavalcante Serra, explica que, ao incentivar um aluno a participar da olimpíada, uma semente é plantada. “É muito gratificante e emocionante ver todos esses meninos serem premiados. A olimpíada é uma sementinha que incentiva e faz mudar a realidade”, diz.

Resultado – Davi Vinicius Silva dos Santos, de 15 anos, conquistou a medalha de bronze a nível estadual pela Escola Estadual Padre Cabral, localizada em Fernão Velho, Maceió. Acompanhado da mãe Andriesy Helena Silva dos Santos, ele foi receber a honraria.

 Davi Vinicius diz que seu desempenho em física meljorou após a OBFEP 2017(Foto: Valdir Rocha)

“A escola já vinha preparando a gente e um professor de física se dispôs a nos ajudar. Durante o treinamento, foi o primeiro contato que eu tive com Física. Agora, na 1ª série do ensino médio, eu vejo que a prova me ajudou a me familiarizar com os assuntos”, informa Davi Santos.

Izamara Félix, estudante da Escola Estadual Professor Loureiro (Murici), também participou pela primeira vez. “Gostei muito. Gosto muito das ciências exatas, desde pequena tenho afinidade com os números. Ser premiada foi uma alegria imensa”, conta a garota, que é medalhista de prata.

 Alex, de Canapi, foi medalha de ouro na OBFEP(Foto: Valdir Rocha)

Morador de Canapi e Estudante da Escola Estadual Luiz Bastos, Alex Rodrigues da Silva conquistou a honraria máxima da premiação: uma medalha de ouro a nível nacional. Ele conta que o destaque é resultado de dedicação e estudo.

“Gosto muito de física. Fico muito feliz. Confesso que não estudava durante muitas horas, mas estava sempre estudando, com pequenos intervalos. Quero cursar astrofísica ou física nuclear”, revela.

Edição 2018 – As inscrições para a edição 2018 da OBFEP estão abertas até o dia de 02 de junho. Mais informações pelo endereço http://www.sbfisica.org.br/~obfep/. As provas da primeira fase acontecem no dia 14 de agosto.

Fonte: AGÊNCIA ALAGOAS


No Banner to display